quarta-feira, 20 de junho de 2018

1993

Imagem de bird, p&b, and ilustrações

Quando Ismália enlouqueceu, eu não sei
Mas quando eu desatinei, nem deu pra perceber
Baby, I born this way
E não mudarei
de nenhum jeito
por você

Quando Ismália pôs-se na torre a sonhar
Eu já tinha descido ao mar
E tentaram me afogar
Com sequelas eu submergi
E fiquei com vontade de ficar
não mais de ir

De ir a lugar nenhum
e nenhum lugar veio até Priscilla
“Vamos marcar”, pros amigos eu dizia
e isso nunca acontecia
porque o vilão dessa porcaria
com a minha alma fodia

Agora eu tenho Alice
Que se funde a mim que nem Rubi e Safira
Eu sou a Garnet que existe
E pode até ser que você me fira
Uma vez ou outra perdida
Mas eu ja sei suturar essas feridas

PW

3 comentários:

  1. Ah, a amora! Coisa azeda de tão doce. Mais vale a fruta do que a geleia industrializada. ;)

    ResponderExcluir
  2. Oi (novamente)!

    Você me conhece (ou deve me conhecer) do blog ALCOVA CRANIANA.

    Sim! Sou eu o Bruno.

    Tudo bem contigo?

    Então, como você é (ou já foi) leitoa do blog e já me presenteou postando comentários nele, gostaria de presenteá-la agora com um livro.

    Isso mesmo!

    Esse livro é uma coletânea de poemas. Nele há uma porrada de poemas de autores atuais, e eu lá apareço com uma produção decente – minha primeira publicação física!

    É o meu primeiro passo nessa empreitada de publicação, por isso, ficaria muito feliz se você aceitasse esse livro. Logo aviso: você não precisa pagar nada por ele! Eu só quero que você o aceite de presente. Se você o quiser, por favor, me mande um e-mail (bruno.rdeo@terra.com.br) com um endereço para que eu possa mandá-lo pra você, ok? De novo: você não precisa me pagar nada, nem o frete vou te cobrar, só quero aqui te presentear.

    Fico no aguardo da resposta e desde já agradecido por você participar deste momento em minha vida, amiga Pri!

    Obrigado!

    Bruno Oliveira

    ResponderExcluir
  3. "E não mudarei
    de nenhum jeito
    por você"

    Depois de um certo ponto a gente aprende a nunca mais se anular por alguém, ainda bem.

    ResponderExcluir

Oi