terça-feira, 6 de setembro de 2011

Sonhei com você,que droga!

É,sonhei com você e odiei! Não quero lembrar.Mas como lembrei,melhor pôr pra fora essa saudade,essas lembranças de você.Era tudo tão bonito,divertido...faz falta,não vou mentir.Procurei consolo em Caio Fernando Abreu e ele me fez lembrar quão forte era aquele sentimento meu e aí fiquei com vontade de mais,mas eu me nego a voltar a sentir o que eu senti.Quero tempo pra me recuperar.Ah,meu flor,não sei se é natural você me fazer falta..pena que não deu tempo de eu te dizer o que eu queria,né? Hoje em dia,também diria,mas seria sem graça,pois o sentimento não é mais o mesmo e eu não iria suspirar a cada palavra,pena que não deu tempo de você ouvir um "Eu te amo" olhando nos meu olhos,mas enfim,você foi você,eu fui..eu fui.

"Não sei, não me interrompa agora que estou quase conseguindo, disponível só, não é uma palavra bonita? Sabe, eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você, eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas essas coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era não mais conseguir ver, entende? Dolorido-colorido, estou repetindo devagar para que você possa compreender." (Caio Fernando Abreu)



Priscilla.