terça-feira, 24 de setembro de 2013

(lágrima)


Eu choro porque não vejo lua no céu,não sinto o vento bater,não espero por algo. Eu choro porque essa é a parte da vida que eu não sei explicar. Pode ser mais uma fase da fase antiga,que eu rezei pra ir embora,e foi. Não durou nem dois anos,voltou. Talvez a vida seja assim mesmo,coisas que você não consegue se acostumar nem entender,por se basear na felicidade alheia. Gente que não quero perder,e perco. Não vou me adaptar.

Priscilla W.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Sobre aqueles de nomes sujos do passado.


Então foi naquele tarde que eu realmente o conheci. O verdadeiro ser. O que não era amável. O que era puro pecado! E eu,a mais pecadora. Burra. Pensei ter sido burra,afinal,que merda,eu o amava! Amava com os sentimentos não só com o meu corpo. Amava cada pedacinho daquele pecado,daquele veneno,daqueles cabelos,olhos,boca,vida pulsante. Pulsante em mim.  Porém,veio o desencanto. Queria ter suportado todos aqueles defeitos,aqueles abandonos,amor de momento. Mas eu necessitava demais,do lado bonito,daquele ilusão. Não a cruel verdade de nós.  Era uma vez nosso lindo coldplay.  Adeus aquela rua que eu não posso mais passar, adeus aquela rosa de pálida agonia a me esperar. Livre! Desse meu castigo,desse meu amor.  Há tanto tempo aqui dentro que já criava raízes e frutos,porem podres. Que nem você. Que nem eu. Adiós.


Priscilla Way.