quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Sobre aqueles de nomes sujos do passado.


Então foi naquele tarde que eu realmente o conheci. O verdadeiro ser. O que não era amável. O que era puro pecado! E eu,a mais pecadora. Burra. Pensei ter sido burra,afinal,que merda,eu o amava! Amava com os sentimentos não só com o meu corpo. Amava cada pedacinho daquele pecado,daquele veneno,daqueles cabelos,olhos,boca,vida pulsante. Pulsante em mim.  Porém,veio o desencanto. Queria ter suportado todos aqueles defeitos,aqueles abandonos,amor de momento. Mas eu necessitava demais,do lado bonito,daquele ilusão. Não a cruel verdade de nós.  Era uma vez nosso lindo coldplay.  Adeus aquela rua que eu não posso mais passar, adeus aquela rosa de pálida agonia a me esperar. Livre! Desse meu castigo,desse meu amor.  Há tanto tempo aqui dentro que já criava raízes e frutos,porem podres. Que nem você. Que nem eu. Adiós.


Priscilla Way.

5 comentários:

  1. Que palavras inspiradas Menina. Que coisa linda!

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É foda...ficam tantas coisas que marcam (e espinham) bem nas feridas...músicas, lugares, fins de tardes...foda!

    []s

    ResponderExcluir
  3. Essas dias eu estava pensando no meu ultimo relacionamento.

    Sinto algo abstrato, evito para que não se torne ódio!

    ResponderExcluir
  4. O ruim é esquecer,sair ilesa da relação. Isto sim é doloroso,quando a máscara dele caiu e você desencantou foi um susto mas o difícil é o depois.

    Dá uma passadinha lá no meu blog,tem entrevista quentinha.
    http://ymaia.blogspot.com.br/2013/09/entrevista-com-joicy-santos.html?showComment=1379978318285#c6480633405735222639

    ResponderExcluir

Oi