sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Oitavo dia.

Pela manhã, um resumo equivocado do 8º dia. Era bom demais pra ser pra mim. Então, mais perdida do que os seminários  e os artigos pra semana que vem, me vejo apavorada no Google, procurando maneiras de como deixar de ser. Eu não queria deixar de ser. Mas eu julgava ser boa, e a “vítima”, me abriu os olhos me fechando o coração. Até pensei em ir à igreja. Não sei,vai que,né. De amorosa abençoada a carcereira colecionadora. Se for, deve ser algum demônio habitado, pois eu não consigo me enxergar assim. Nunca quis ser. É uma sensação de quase morte aos 21. Ter vinte e um  é isso? Essas surpresinhas? Lamento horrores pelas cartas que nunca mais escreverei. Não posso ser intensa,eles confundem com possessividade. 
Adiós.

P.

Um comentário:

Oi