quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

De um pedaço de papel que eu achei jogado no chão do quarto (Com certeza foi minha mãe arrancando folha do meu caderno da capricho pra anotar número de telefone)

Não disfaço. Reativa, irritada. Machucando quem me dói, me doendo pelos outros. Quero sentir meu vício no chão frio do banheiro. Colorir o que é branco. Horizontais nas entrelinhas. Um penhasco, duas cordas. Uma pro meu desespero, outra pro meu eu completo. Tá faltando ar, depois faltará o sangue. (parte arrancada). Logo, não mais tormentos.



Escrito em:  14.04. 2013. Eu ACHO que eu estava triste.

PW.

Um comentário:

  1. Gosto de me ler em cadernos antigos, blocos de anotações passados. A gente vê uma outra de nós, ou nós mesmas só que com outros olhos.

    Bjoo'o

    ResponderExcluir

Oi