sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

2014

 

 Imagem

Um ano de merda
que me deixou mais lerda
com isso de ter 21 anos
tive altos e baixos insanos
Um ano que levou escritores
Levou também meu cachorro
Um ano que não teve socorro
No dissabor de varias dores
Um ano de choros noturnos
Onde a explosão de desrespeito aconteceu
A sensibilidade foi parar em Saturno
E foi moldado um novo Eu
Um ano em que passei a acreditar muito no inferno
Senti coisas que me levariam para lá
Mas foi Deus que disse pra gente se amar
Ele não pode julgar meus sentimentos eternos
Um ano do tão esperado “tanto faz”
O escudo dos sentimentais
Ainda me comovo com os antigos casais
E me perco nos alheios “aqui jaz”
Um ano que decidi onde eu não quero estar
Sacrifício adiando o desejado
Para não precisar  nunca mais com as pessoas me enojar
Eu deixo pra depois o que por mim é amado.
Um ano em que eu poderia ter enlouquecido
E algumas pessoas ter ferido
Mas uma ficha suja por eles  não vale meu céu azul
Deixei de ser Bentinho pra ser Capitu
Não que em 2015 tudo fiquei perfeito
É da minha vida que to falando
E apesar de ser canceriana
Não quero mais me foder tanto.


Priscilla Way.

4 comentários:

  1. QUE FODA!
    Simplesmente foda!

    Se a minha page do blog nao estivesse bugada eu com certeza colocaria lá.

    Uma das melhores coisas que li sobre "retrospectiva"

    Só vou mudar o finalzinho:

    E apesar de ser libriana
    Não quero mais me foder tanto. hahahah

    ResponderExcluir
  2. Que interessante relato do seu ano passado.
    Bem, o meu foi uma merda também.

    Te desejo mais e mais inspiração!

    ResponderExcluir
  3. me divertindo com o teu blog.. o poema é divertido e bem tua cara!

    ffeliz ano novo e q em 2015 a gente nao se foda tanto!

    ResponderExcluir
  4. Que 2015 nos traga o que o ano passado não trouxe, e que seja só coisa boa, igual a sua poesia.

    ResponderExcluir

Oi